segunda-feira, 1 de junho de 2009

Berlim - Memorial do Holocausto







Chegando ao final dessa história trágica, visite o memorial do Holocausto.

Fica muito próximo ao bunker, na avenida Ebertstraße 20.

O memorial foi construído para representar os judeus mortos durante o regime nazista.

Seu “campo” com mais de 2.700 pedras é impressionante.

Ande por entre elas. A idéia da obra é causar um certo desconforto mesmo.

Além do campo, há um ótimo centro de informações logo atrás, com muita documentação e histórias sobre o período.

Se quiser saber mais antes de ir, visite o site.

9 comentários:

Mario Sergio disse...

bacana, ainda não estive ai.

Paula* disse...

Marcio, mais uma vez parabéns pelo blog e pelas fotos que são incríveis! Acabei de voltar de Berlim e suas dicas foram ótimas e conferidas! Adorei! Muito obrigada, viu?! Abç

SÍLVIA OLIVEIRA disse...

Existem alguns lugares que podem mesmo causar algum desconforto no visitante... mas isso é história, memória e construção do imaginário. Quando viajo não evito cemitérios famosos, lugares de batalhas ou memoriais em homenagens a grandes tragédias. Isso é a preservação do conteúdo da humanidade do qual fazemos parte! Abs!

Barbara disse...

Desconhecia este monumento e tenho muita pena de la ter estado tão perto e não ter la ido! Obrigada, as fotografias estão fantásticas! è uma obrigação de todos nós visitarmos estes sítios!

patsy disse...

Marcio meu querido!
Senti uma sensacao ruim ao ver essas fotos, sei la, acho que estou em um dia sensivel...

Pat Alves disse...

Quando vi este memorial a primeira coisa que me veio à cabeça foi "parece um cemitério!". Há uma história controversa sobre a construção deste memorial. Reza a lenda que a empresa que ganhou a licitação da construção faz parte de um conglomerado que na época do Nazismo fornecia uma substância utilizada nas câmaras de gás. A guia falou que foi um escândalo na época! As obras foram paralisadas por algum tempo, até que o governo decidiu por continuar a obra. Mas em troca deste papelão que a empresa fez no passado, decidiu-se construir o memorial no subsolo. Aliás, o memorial é gratuito. Eu visitei-o e lembro que a minha sensação foi como se tivesse levado um soco no estômago. Eu me pergunto como o mundo deixou que isto acontecesse! Na minha viagem conheci Munique e Berlim. O que eu falo para os amigos é que Berlim deixa o seu terrível passado à mostra, para que as gerações atuais aprendam com os erros do passado. Marcio, desculpe os longos comentários, eu escrevo demais!

Marcio Nel Cimatti disse...

Fique a vontade Pat. Seus comentários são muito interessantes.

Que loucura essa história da empresa que fornecia uma substância utilizada nas câmaras de gás.

Bjo!

Pat Alves disse...

Marcio,

Agora que eu li o que eu postei, vi que eu escrevi errado. Mil perdões! O correto: Segundo a guia do tour que eu fiz por Berlim, como Berlim é a capital do grafitismo, o governo decidiu proteger os blocos de cimento do memorial com uma espécie de cobertura anti-grafite. Fez-se a licitação e a empresa que ganhou foi uma empresa que fazia parte de um conglomerado que na época do Nazismo oferecia uma substância para as câmaras de gás dos campos de concentração.

Mais uma vez, desculpe a confusão que causei.

Marcio Nel Cimatti disse...

Oi Pat, tá corrigido. Não esquenta!

O blog é nosso!!

Bjo!

Related Posts with Thumbnails